24.11.16

Black Friday - Worten sempre?

Este ano, a DECO disponibilizou aos consumidores uma ferramenta online para que possam comparar preços de forma a não serem enganados pelas [supostas] mega promoções das lojas na Black Friday.
A título de curiosidade, e porque davam como exemplo situações do ano passado em que vários produtos aumentavam centenas de euros para a Black Friday, decidi fazer uma simulação, escolhendo aleatoriamente um produto da Worten para experimentar esta ferramenta no site da DECO.

O artigo que escolhi foi a seguinte televisão: TV OLED Smart TV 55'' LG OLED55B6V 4K


Introduzi o link no site da DECO...


... e foi este o resultado.

Uma televisão que amanhã estará a 2.499€ custava, há apenas 10 dias, 1.799€! O que representa um aumento de 700€!!! Com o desconto que a Worten "oferece" de 20% em talão, o consumidor não só não poupa 499€, como ainda paga mais 200€!


Boquiaberta com o que acabava de descobrir, experimentei fazer outra simulação. Voltei a escolher uma televisão LED 4K, por se tratar de um produto de grande procura nestes dias.

O produto em questão: TV OLED Smart TV 3D 65'' LG OLED65E6V 4K


E novamento o resultado...


Mas desta vez, o que veio a seguir deixou-me [ainda mais] perplexa!


Este produto, que custará amanhã a módica quantia de 5.999€, esteve a 3.998,40€ no final do mês Outubro [há menos de um mês]!


Há 10 dias custava 4.199€!

Já não comparando com o valor de Outubro e sim com o de dia 13 de Novembro, temos aqui um aumento de 1.800€!!!
Ao receber em talão 1.199€, o cliente não só não poupa NADA, como ainda está a pagar mais [espante-se] 601€!

Tenho a certeza que se continuasse com esta pesquisa, iria encontrar mais surpresas mas, não só não tenho interesse pela Black Friday, como confesso que não tenho grande "estômago" para isto. Uma coisa é ouvir falar destes aumentos absurdos, outra coisa é ter dados concretos em como as lojas não têm o mínimo respeito pelos consumidores.

Um conselho: informem-se antes de fazer qualquer compra. Esta ferramenta da DECO está disponível aqui. Este ano só é enganado quem quer.

SaveSave

22.11.16

1ª edição Pets'R'Cool - vamos ajudar?



Se há coisa que me enche o coração é olhar para os meus dois cães e saber que são felizes. Proporcionar-lhes todo o conforto, segurança e amor é um dever mas também uma missão. Ter um animal é um compromisso que assumimos para a vida; não devia ser um capricho ou uma moda, mas antes uma decisão tomada de forma consciente.

Os meus cães vivem numa segurança e num conforto a que nem todos os animais têm acesso. Felizmente, podemos proporcionar-lhes todos os cuidados de saúde, uma boa alimentação, três passeios diários, uma cama quentinha no Inverno e muito amor e atenção 365 dias por ano. Gosto de sentir que faço um bom trabalho, especialmente nos momentos em que os observo descansados e serenos enquanto dormem... É uma sensação de tranquilidade e de paz indescritível.


Mas isto é apenas a realidade aqui de casa. Infelizmente, há muitos [demasiados] animais que não têm a sorte dos meus, animais esses que já passaram pelas mais diversas privações e maus tratos e que esperam por uma família durante meses ou anos, desejo esse que nem sempre se concretiza.

De forma a proporcionar todo o conforto possível aos animais do Refúgio Animal Angels, a Old School Surf School organizou um evento solidário: Pets'R'Cool. De 21 de Novembro a 8 de Dezembro, qualquer pessoa poderá contribuir através da doação de comida para cão/gato ou mantas para aquecer os animais neste Natal. Basta contactar a escola de surf, enviando uma msg privada no facebook ou um email.


Enquanto os meus cães vão passar um Natal em família, numa casa quentinha e confortável, com presentes, comida, cama e mantas para se aquecerem, milhares de animais não terão a mesma sorte. Mas se todos fizermos um pouco, juntos seremos muitos!


Se quiserem ser Cool, ajudem a Old School:

Old School Surf School

Consultem a página do evento aqui.

20.11.16

Tomadas de consciência - Zero Waste Home

Este ano tem sido de grandes descobertas no que diz respeito ao combate ao desperdício. Se até Junho vivia na ideia de que contribuía o suficiente para proteger o planeta, um mês depois, quando assisti a uma palestra da Bea Johnson na Junta Freguesia de Alvalade, compreendi que ainda tenho um longo caminho a percorrer no que diz respeito a questões ambientais [e também pessoais]. Senti que este dia marcou um ponto de viragem, pois compreendi que o estilo de vida "desperdício zero" tinha algo de muito mais atraente: viver mais e melhor com menos.

Conferência Zero Waste Home - 8 Julho 2016

Nesta tomada de consciência, detectei dois grandes problemas:

1. Ambiental
Afinal aqui em casa produzimos muito mais lixo do que seria desejável.
Eu, na minha ingenuidade, pensava que contribuía o suficiente para proteger o planeta através de simples gestos como não comprar sacos de plástico, não deitar lixo para o chão, separar e reciclar tudo o que é possível [plástico, cartão, vidro, pilhas, tinteiros, aparelhos electrónicos, cápsulas de café, tampinhas das garrafas ou mesmo rolhas de cortiça]. Descobri que antes disto há muitas outras coisas que posso fazer para evitar a produção de resíduos domésticos.

2. Pessoal
Vivo com demasiadas coisas que não preciso.
Fazendo uma auto-análise, depressa chego à conclusão que há demasiadas coisas desnecessárias em todas as divisões. Livros, DVD's, roupa, embalagens, produtos de higiene pessoal, utensílios de cozinha e até mesmo produtos de limpeza.

Relativamente à questão pessoal, e embora não me tenha tornado numa psicótica em relação ao tema, aproveitei a deixa para começar por praticar o desapego de bens materiais, um dos meus passatempos preferidos mas que na verdade só praticava cerca de duas vezes por ano e de uma forma "superficial".
O objectivo: identificar tudo aquilo que não precisamos ou que nunca mais vamos usar. Esta análise aplica-se a tudo o que há em casa. Não é fácil mas o que custa é começar.

Uma vez que nunca tive grande dificuldade em me desfazer de bens materiais [especialmente aqueles aos quais não tenho grande ligação] considerei que iria ser uma tarefa fácil. No entanto, rapidamente me deparei com pequenas lutas interiores que me fizeram pesar os prós e os contras de me desfazer de alguns pertences. Felizmente, perguntas simples foram o suficiente para encontrar as respostas...

Exemplos:

DILEMA: "Tenho um fraquinho por material de papelaria, especialmente canetas."
Pergunta: "Preciso de 100 canetas?"
Resposta: "Não... Só tenho dois braços e escrevo apenas com 1! Interessa-me mais ficar com poucas canetas mas boas do que dezenas que não prestam."

DILEMA: "Esta roupa pode vir a dar jeito!"
Pergunta: "Quantas vezes deu jeito?"
Resposta: "Nenhuma!"

DILEMA: "Tenho tantos DVD's... E se um dia me apetecer ver um?"
Pergunta: "Quantos DVD's dos teus viste nos últimos anos?"
Resposta: "Zero! Vejo tudo através da Apple TV ou da box da Vodafone"

DILEMA: "Gosto tanto de livros... Não sei se me consigo desfazer de alguns."
Pergunta: "Costumas ler o mesmo livro duas vezes?"
Resposta: "Não. E mesmo que o faça, é com largos anos de intervalo."

Afinal até não é assim tão difícil... E em relação aos espaços que vão ficar "vazios", é só pensar na vantagem da próxima vez que for limpar o pó!

Uma dica: depois de separarmos tudo aquilo que não precisamos, é muito importante darmos seguimento a este processo, seja através da venda de alguns bens ou de doações a instituições carenciadas. O importante é não remeter essa selecção de bens desnecessários para uma qualquer divisão ou arrecadação, caso contrário, o trabalho feito até ao momento perde todo o sentido.

Onde me posso desfazer de alguns destes bens?

- Existem inúmeros contentores da Associação Humana Portugal onde podemos depositar roupa usada. A entrega também pode ser feita directamente nas lojas;
- Sites de vendas como o OLX ou o Custo Justo;
- Feiras de segunda mão;
- Doação a instituições.

[brevemente, farei um post apenas sobre este tema]

Por onde comecei a mudança?

Depois de reflectir sobre qual a divisão da casa por onde começar, decidi escolher a casa de banho. É incrível como esta pode ser uma das divisões onde acumulamos mais coisas inúteis! E quase tudo em quantidades muito superiores às necessárias: vernizes, cremes, maquilhagem, produtos de higiene pessoal, perfumes, amostras de tudo e mais alguma coisa, sabonetes e outros produtos de hotéis [qual é a paranóia com estes sabonetes que tantos de nós guardamos religiosamente para nunca usar?] e por fim, uma quantidade - um pouco assustadora - de medicamentos fora do prazo que fui entregar à farmácia.
Em relação aos produtos que tinha a mais, decidi dar alguns e usar outros, aproveitando o momento para fazer uma espécie de juramento: não voltar a deixar acumular.

A experiência

Desfazermo-nos de bens inúteis pode ter um efeito incrivelmente terapêutico. Não há dúvida de que vivemos com coisas a mais, muitas das quais não precisamos nem nunca vamos precisar.
Acredito que neste processo é tudo uma questão de hábito... Não acumular passa por não comprar desnecessariamente ou por impulso, por não aceitarmos brindes inúteis que nos dão em todo o lado e por sensibilizar os amigos e a família no sentido de não oferecerem presentes que não vamos usar.

Por aqui, o que pretendo é começar a viver melhor com menos e gradualmente reduzir o desperdício noutras áreas. Um conselho: não tentem fazer tudo de um dia para o outro. É importante que as mudanças sejam graduais e que se adaptem à nossa realidade de forma a conseguirmos mantê-las.


A quem interessar, fica a sugestão de leitura: o livro Desperdício Zero da Bea Johnson.


18.11.16

O 1º aniversário da Maria Granel

Há um ano entrava pela primeira vez numa nova mercearia de bairro em Alvalade, que se distinguia das restantes por vender exclusivamente produtos biológicos a granel. Tratando-se de uma loja pioneira, compreendi de imediato a sua importância e a revolução que este conceito poderia representar, não apenas em Lisboa mas a nível nacional. O que eu não percebi, foi o que iria representar para mim a descoberta daquela loja.


Ontem, na festa do seu primeiro aniversário, perguntaram-me o que significa para mim a Maria Granel. Família foi a primeira palavra que me ocorreu. Um ano depois, a "Maria" tornou-se numa pequena e saudável família que eu ganhei na minha cidade e que, em cada visita, tem a capacidade de me fazer sentir em casa. 
E tal como numa família, que está sempre presente nos momentos mais importantes, ontem juntámo-nos para celebrar o primeiro de muitos aniversários!



Devo dizer-vos que o bolo de aniversário era maravilhoso! Fica a dica: caso tenham algum evento e precisem de um bolo saudável, contactem a The Love Food.


No fim, ainda tivemos direito a presentes personalizados [no meu caso, um frasco com perpétuas roxas].


Muitos parabéns Maria! Para o ano há mais.

SaveSave

10.11.16

Índice de receitas - Revista Bimby nº 72 (11/2016)


 ENTRADAS 

• Grão aromatizado
• Nachos de grão

 SOPAS 

• Creme de castanha
• Sopa de bacalhau e marisco
• Sopa de grão coalho-francês

 PRATOS DE PEIXE 

• Bacalhau gratinado com camarão
• Gratinado de peixe com feijão-verde e couve-flor
• Massada de peixe
• Pastel de bacalhau amanteigado

 PRATOS DE CARNE 

• Arroz de feijão com morcela
• Guisado de vitela coberto
• Rojões com castanhas
• Rolo recheado com espinafres e queijo
• Salteado de vitela com legumes
• Vazia com chimichurri

 PRATOS VEGETARIANOS 

• Fritos de ervilha e hortelã
• Massa fresca de lentilhas com caril de legumes
• Piza Marguerita com base de feijão
• Tomatada de ovos

 BOLOS E SOBREMESAS 

• Aletria de cortar à faca
• Boleima de maçã e canela
• Bolo da partilha
• Bolo de chocolate com chantilly e mousse
• Brownies de chocolate branco
• Brownies sem glúten
• Marmelada de castanha
• Massa para moldar
• Negra maluca
• Quadrados de chocolate cobertos
• Quadrados para chocolate quente
• Taça de pequeno-almoço
• Tarte de batata doce
• Tarte intensa de chocolate

 BEBIDAS 

• Licor de caramelo